quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

A MINHA VIAGEM A PARIS – PARTE 4

A MINHA VIAGEM A PARIS – PARTE 4


PARIS

Resolvemos fazer uma visita às Galerias Lafayette. Olhamos encantados as diversas montras que exibiam a moda Printemps de Paris. Estamos próximos da época natalícia e talvez por isso o colorido e a perfeição da decoração encantou-nos.
No exterior das galerias, à boa moda parisiense, um homem toca harmónica/realejo, enquanto numa cama com lençol e cobertor, um pequeno cão e um gato dormitavam contrastando com o ditado de “que se dão como o cão e o gato”; estes dois animais estavam na paz de deus e gozavam juntos do aconchego que lhes tinha sido oferecido. Assim ajudavam o seu dono que amealhava algumas moedas que lhe eram oferecidas pelos que por ali transitavam, depositando-as num pequeno cesto colocado no chão junto da cama.

HOMEM DO REALEJO

Entrámos nas Galerias, no Boulevard Haussmann e logo a monumentalidade da cúpula envidraçada de onde pendiam enormes bolas coloridas e um enorme pinheiro de Natal repleto de pequenas bolas vermelhas de azevinho, deixaram-nos boquiabertos.
            
CÚPULA DA GALERIA LAFAYETTE





Nestas galerias vende-se de tudo: peles, cosméticos, comida gourmet ou viagens para casais, relógios e jóias, brinquedos e roupa. Durante o Natal converte-se num lugar extremamente bem decorado, que as crianças vão admirar antes de decidirem o que pedir ao Pai Natal.
INTERIOR DAS GALERIAS LAFYETTE
No centro de Paris, as Galerias Lafayette têm a sua loja mais bonita


e bem-sucedida. Algumas compras
feitas e fomos de visita ao  Le Palais Garnier, arquitectura clássica e barroca do século  XIX.

ÓPERA DE PARIS

A Ópera de Paris, fundada pelo Rei Luís XIV em 1669, mudou pela 13ª vez e definitivamente ficou sitiada no Palácio construído por um jovem arquitecto de 35 anos, Charles Garnier que ganhou o concurso, tendo iniciado a sua construção em 1860 e terminado em 1875.A fachada principal da ópera foi recuperada no ano 2000, readquirindo a sua policromia de origem e o dourado das suas estátuas que nos deixaram estupefactos, assim como com a esplendida escadaria que conduz à Biblioteca-Museu; os candelabros e o precioso tecto do auditório, vermelho e dourado pintado por Marc Chagall, com cenas de óperas e bailados famosos!... A não perder esta visita que como tudo em Paris é deslumbrante.

ESCADARIA NO INTERIOR DA ÓPERA 

   
TECTO PINTADO POR MARC CHAGALL


E a viagem continua, em próxima página.










         
Enviar um comentário