sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

A MINHA VIAGEM A PARIS – PARTE 7

A MINHA VIAGEM A PARIS – PARTE 7

 Vedettes de Paris

VIAGEM A PARIS


Como o tempo escasseia e há ainda tanto para ver, no dia seguinte decidimos ir até à esplendida Torre Eiffel, uma torre treliça de ferro do século XIX localizada no Champ de Mars, em Paris, que se tornou um ícone da cidade. Construída por ‎Gustave Eiffel, o seu arco marcava a entrada da Exposição Universal de 1889  efectuada em Paris, que comemorou o centésimo aniversário da Revolução Francesa.
Não subimos à Torre, decidimos fazer um cruzeiro no Rio Sena, nas Vedettes de Paris, cujo embarque é feito junto à Torre. Este cruzeiro no Sena, para além de nos dar a conhecer o charme mítico desse rio, permiti-nos entrar no coração de Paris e admirar a incrível e excepcional riqueza arquitectónica da cidade.
Os que mais se destacam são a Assembleia Nacional, o Museu d’Orsay, o Instituto de França, o Hotel de la Monnaie, o de Notre Dame, o Instituto do Mundo Árabe, o Hotel de Ville, o de  Sante Chapelle, La Conciergerie, Museu do Louvre, o Obelisco de Luxor, Grand Palais e Petit Palais e Palais de Chailot.


Obelisco de Luxor em Paris

São muitos dos edifícios que se encontram junto ao Sena e podem ser observados neste cruzeiro que também nos permite passar sob algumas das numerosas pontes que ligam a Rive gauche à Rive Droit.
 Em primeiro lugar, junto à Torre Eiffel, a ponte Lena, seguindo-se a ponte de l’Alma, a ponte dos Inválidos, ponte Alexandre III, ponte de la Concorde, ponte Royal, ponte do Carrousel, ponte Saint Michel, ponte de la Tounelle, ponte de Sully, ponte Marie, pont Louis-Phillipe, pont ou Change e ponte Neuf. O cruzeiro circunda de toda a Ilha de la Cité, invertendo a marcha junto à ponte de Sully. É um passeio magnífico que se não deve perder em Paris
Após almoço, seguimos até à Obelisco de Luxor, em Marrais, onde se encontra o edifício de singular arquitectura em vidro e aço, o Centro George Pompidou, complexo fundado em 1977 e que abriga um museu, uma biblioteca, teatros, entre outros equipamentos culturais; junto ao centro, imensas fontes de água pop-art, com as suas cores e designe particular encantam que as visita. Foi em 1982 que Jean Tinguely e Niki de Saint Phalle criaram as dezasseis esculturas que esguicham água como qualquer fonte tradicional! São peças lúdicas, divertidas, que se movimentam por meio de uma engrenagem visível.



Praça Igor Stravinsky em Paris
Devo dizer que gostei e me diverti. Não entrei no Centro, apenas apreciei aquilo que vos descrevi. Havia ainda muitas coisas para ver em Paris. Havia que aproveitar ao máximo.
No Marrais, que percorremos a pé, fomos até à Place des Noges, passamos pelo Hotel de Ville, pelas antigas casas medievais ainda presentes no Marrais, fomos à Praça da Bastilha. A prisão da Bastilha, símbolo da opressão, foi destruída pelos revoltosos durante a Revolução Francesa. A Colonne de Juillet (Coluna de Julho), que foi erigida em homenagem à revolução de Julho de 1830, ocupa posição central na Praça.

Praça da Bastilha em Paris
… E a nossa visita a Paris continua em próximo episódio.


Enviar um comentário