quarta-feira, 30 de outubro de 2013

TOQUE DE DESPERTAR

É impressionante como o som de despertar do  telemóvel, nos perfura a cabeça como o um Black & Decker.
Salto da cama, ando pela casa feita barata tonta, sem saber muito bem o que fazer, até que decido  ir escolher a roupa, fico  invariavelmente com ar de palerma em frente ao armário, até que me decido por um vestido.
Duche com água bem quentinha, toca a limpar, enfiar rapidamente o vestido, pentear, uns acessórios à toa, que acabo por ir pondo durante o trajecto para o trabalho, ficam uma aberração com o vestido, uma total incompatibilidade. Entre retirar o vestido ou os assessórios, opto por estes, o vestido  dava demasiado na vista e já está frio.
Chego ao maldito trabalho em cima da hora, sem ter tomado pelo menos um  café, nem ter posto o creme hidratante.
Dentro de mim, pé entre pé surge a Sr.ª culpa, estou em pecado mortal, a preguiça...
A angústia aumenta , em proporção directa com o sentimento de necessidade de mudar.
Ainda bem, hoje é sexta-feira, o fim de semana vai dar para reflectir e iniciar o processo de mudança.
Domingo à noite, sou uma mulher com a vida delineada.  Programei o meu ritual matinal.
Não acordo mais com o som do telemóvel. Comprei um relógio vintage, lindo.
Antes de me deitar deixo a roupa e assessórios escolhidos para o dia seguinte,
a mesa do pequeno almoço pronta.
Às 7h quando o meu  relógio vintage, faz "trim - trim", deito-lhe a língua de fora, é a vingança...
Ainda antes de sair da cama espreguiço-me, mas espreguiço-me mesmo como deve ser, tipo alongamentos e sorriso de orelha a orelha, dou um beijo  aquele homem  com quem compartilho 1/4 da cama, na falta, serve o Boby ou o Tareco.
Um banho rápido com água morna, creme hidratante no corpo, limpo o rosto,  creme hidratante com protector solar 30 incorporado, vestida que nem uma lady.  Ainda tenho tempo para por a base, blush,  rímel e comer uma tigela de leite com cereais.




Quando entrei escritorio, a Florbela recepcionista,  ficou de boa aberta, a Joana, minha chefe, deitava fumo pelos olhos e o João, Director de Vendas, passou por mim, de repente parou e com ar de admiração disse: " ai, é você Marta".
Valeu a pena, o meu relógio novo, que está adiantado meia hora!


Enviar um comentário