quinta-feira, 21 de novembro de 2013

BARCELONA E GAUDI

 

BARCELONA E GAUDI
Barcelona é quase sinónimo de Gaudi, famoso arquitecto que nasceu na Catalunha em 1852 e morre em Barcelona em 1926.

ANTONI GAUDIA


Considerado homem estranho na época, as suas obras fugiam do que era habitual, possuía uma imaginação inigualável, aliada aos seus conhecimentos em trabalhar com cerâmica, vitral, ferro forjado e madeira, à capacidade de fazer uso e abuso, no bom sentido da palavra, do arco parabólico catenário (a curva que um cabo suspenso pelas suas extremidades forma) e da técnica tradicional catalã do "Trecandis", uso de pedaços de cerâmica fragmentada.
 
 
TÉCNICA TRECANDIS
 
 

ARCO EM CATENARIA
 
 
 
 
 
 
    
 
 
 
Depressa se afirmou como um arquitecto modernista, com um estilo próprio, singular, tanto pelas formas que usa, como pelas texturas e materiais, bem como pelas cores, de tal forma que ao ver um trabalho de Gaudi, o comum dos mortais o reconhece.
Quase toda a sua obra se encontra em Barcelona, Casa Vicent, a primeira obra importante que realizou em Barcelona. 
Guell virá a ser um amigo e mecenas de Gaudi, que lhe constrói o Palau Guell, primeira obra onde é visível o que virá a ser a arquictetura de Gaudi; Casa Milà, Casa Batllò, obras onde estão patentes o estilo muito próprio do arquictecto e a Sagrada Família, a sua última obra que ficou inacabada pela sua súbita morte, resultante de atropelamento por um elétrico.

 CASA VINCENT, SUA PRIMEIRA OBRA DE RELEVÂNCIA
 
É  a partir dos anos 6o que Gaudi passa a ser alvo de estudo e considerado um génio a nível mundial.
Quando estava a trabalhar na Catedral da Sagrada Família, devido à sua obsessão pelo trabalho e à sua devoção católica crescente, muda para lá o atelier e residência.

Gaudi encontra-se sepultado na Catedral da Sagrada Família.
 
 
SAGRADA FAMÍLIA, SUA ÚLTIMA OBRA
Enviar um comentário