domingo, 15 de dezembro de 2013

VINHO DO PORTO E FAINA

VINHO DO PORTO E FAINA

O VALE DO DOURO VINHATEIRO

O Vale do Douro Vinhateiro estende-se por 250 mil hectares desde a Régua até Freixo de Espada à Cinta, na raia transmontana.
 Até à implementação das novas tecnologias, toda a faina agrícola era uma extraordinária mistura de alegria e canseira. A colheita das uvas ocorre normalmente no início de Outubro e os grandes cestos que os homens carregavam cheios de uvas até ao lagar, pesavam cerca de 60 Kg que transportavam pelos socalcos acima.

TRANSPORTE DAS UVAS


 Lançadas nos lagares de granito, as uvas eram pisadas por homens dispostas em fila que percorriam o lagar de um lado para outro lado, entoando cantigas. Este trabalho de pisar as uvas mantinha-se até o mosto ter uma quantidade de açúcar não fermentado que daria ao vinho a doçura desejada.


PISAR AS UVAS

 Quando esta era atingida, dava-se início à encuba, juntando-se água-ardente vínica com 76 a 78 º. Logo de seguida dava-se início à lota que consistia na homogeneização da massa. Terminada esta fase, a massa entrava em repouso até Dezembro ou Janeiro. Após este período de descanso, procedia-se à transfega, que consiste na separação das borras, sendo ainda possível fazer retoque da graduação alcoólica. Estava então pronto para ser envasilhado e seguir nas pipas em direcção ao Entreposto, percorrendo os Km fluviais que os barcos Rabelos tinham pela sua frente.

TRANSPORTE DAS PIPAS NOS BARCOS RABELOS


Hoje em dia, as novas tecnologias substituem o homem em muitas destas tarefas, mas os processos de interrupção da fermentação vínica pela junção de água-ardente vínica e todos os passos necessários para atingir um vinho generoso de qualidade mantêm-se. A construção de novas vias rodoviárias também transformou o transporte, mas os barcos Rabelos continuam a ser utilizados em regatas, passeios no rio Douro e noutras actividades que recordam os tempos épicos de glória.
Os barcos Rabelos são hoje uma atracção turística.

BARCOS RABELOS NO RIO DOURO EM FRENTE  ÀS CAVES DO VINHO DO PORTO
Enviar um comentário