sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

A MULHER E A VIDA

A MULHER E A VIDA


A vida é um todo, não pode ser segmentada.

A frase acima merece que se pare e se medite sobre ela. Não sentimos a vida como indivisível, vivemos a vida segmentando e assumindo diferentes papéis em diferentes ocasiões.
É vulgar ouvir dizer: “sou amante, mãe e profissional. Porque não dizer, única e exclusivamente, sou mulher?
Não é vulgar ver escrito “sou amante, pai e profissional”. Simplesmente se escreve, sou homem.
Enquanto nós mulheres o permitirmos, vamos continuar a ser profissional das 9h às 18h com um ordenado; das 18h ás 22 h mãe e das 22h às 7 h amante, para voltarmos ao papel de mãe das 7h ás 9h.
Esta situação é no mínimo esquizofrénica.

O mundo do trabalho tem que compreender que a profissional - mulher é um ser humano em primeiro lugar.
O homem tem que perceber que é um ser humano, exatamente igual à mulher.
Os filhos têm que entender que a mãe é um ser humano.
Antes de tudo, todas somos seres humanos pertencentes ao sexo feminino, mulheres.
Se não nos concretizamos como mulher, vamos ser sempre e irremediavelmente as coitadinhas, que são 3 em 1.
Aqui volto a referir a importância da palavra não. Um não pensado e consciente, é muito mais eficaz que um sim por obrigação, que advém da condição de ser mãe, amante e profissional.
 A nossa missão na vida é sermos felizes e fazer felizes os que connosco convivem, em evolução constante e juntando os outros a essa evolução.
No fundo, a missão na vida das mulheres é idêntica à dos homens. Não confundir missão com aptidões.
Todos temos aptidões diferentes e é na junção dessas diferentes aptidões que vamos progredir.



JUNTOS SEREMOS MAIS FORTES
JUNTOS FAZEMOS O CAMINHO E DEIXAMOS A NOSSA  MARCA

Enviar um comentário