domingo, 16 de fevereiro de 2014

CRACÓVIA - VISITA A WIELICZKA


CRACÓVIA - VISITA A WIELICZKA 


 WIELICZKA – AS MINAS de SAL



Ainda no nível dois a Gruta Erazm Baracz (engenheiro de minas, chefe de minas de sal de Wieliczka), onde existe um lago de água salgada, onde nos foi dada a oportunidade de escutar e ver um espectáculo de luz e som. 


Lago de salmoura na Gruta de Erazm Baracz

Por fim a Gruta dedicada ao geólogo Stanislaw Staszic (padre polonês, filósofo, estadista, geólogo, erudito, poeta e escritor, um líder do Iluminismo da Polônia). 

Gruta dedicada ao geólogo Stanislaw Staszic 

Descemos depois ao terceiro nível, a 135 metros de profundidade, tendo passado pela Gruta Jozef Pilsudski, (revolucionário polonês e estadista, marechal de campo, primeiro chefe de estado (1918-1922) e ditador (1926-1935) da Segunda República Polonesa, bem como o líder de suas forças armada), onde se encontra a estátua em sal do marechal com o mesmo nome e ainda a Capela de Santa Cruz - Kaplica Sw krzyza.


Jozef Pilsudski
Capela deSanta Cruz - Kaplica Sw krzyza


Capela de Santa Cruz (1860)

As escavações subterrâneas estão repletas de visualizações surpreendentes como vários lagos de salmoura, camaras majestosas como uma catedral subterrânea com altares e diversas esculturas religiosas todas esculpidas em sal. As diversas esculturas esculpidas em sal que se vão observando em diversas camaras aludem a motivos religiosos, históricos e da actividade mineira. É-nos dado observar ainda uma colecção de máquinas e equipamentos que representam o desenvolvimento das técnicas mineiras.



Técnicas mineiras outrora realizadas


Outras técnicas usadas




É conveniente levar calçado cómodo e ir agasalhado mesmo no verão. A descida dos 800 degraus, acrescida dos cerca de 2,5 Km que se percorrem ao longo das diferentes galerias que conduzem aos diferentes poços obrigam a um exercício físico que se torna mais fácil se o calçado fôr apropiado.

Gostava ainda de salientar que impressionam as traves de madeira conservadas pelo sal que escoram as paredes de todas as galerias, assim como o chão de blocos de sal que formam a “rua” por onde transitamos.



Troncos de madeira impregnados pelo sal


Os blocos de sal que forram o chão


Impressionante estrutura em madeira no inerior da Mina
O sal que "forra" as paredes das galerias



É diferente e sou de opinião que merece a visita. 

A subida é feita de elevador (“Graças a Deus”)!

Algumas informações e curiosidades que poderão ser úteis a quem pretenda fazer a visita:

Horários de visita e diversas línguas utilizadas pelos guias: a língua Polaca, Alemã, Francesa, Italiana e Russa estão disponíveis durante todo o ano, muito embora os horários de visita sejam diferentes para cada uma das línguas praticadas. 
O Inglês só existe de Outubro a Maio de hora a hora no horário de visitas, com início às 9 horas até às 17 horas. 
O Espanhol só existe de Junho a Setembro às 11,20 horas e às 16,20 h.

Existe no interior da mina um restaurante “Casa do Mineiro”, um serviço de correio, lojas de venda de recordações, possibilidade de usar telefone móvel ou internet. 
Na mina também se organizam concertos de música, bailes, banquetes, conferências e reuniões de negócios.
A 135 metros de profundidade, no terceiro nível, existe uma Estancia Terapêutica, virada para o tratamento da asma, alergias.
O Hotel Grande Sal está situado ao lado do Poço Danilowicz.
A Mina está aberta aos visitantes de 1 a 31 de Outubro entre as 7,30 e as 19,30h. 
De 2 de Novembro a 31 de Março das 8 às 17 horas, com excepção dos dias primeiro de Janeiro, Domingo de Páscoa, um de Novembro e 24 e 25 de Dezembro.

De regresso ao hotel na mesma Pic-Up que nos havia levado até às minas, impunha-se um pequeno descanso…. Sempre foram 800 degraus e 2,5 Km de percurso realizados em cerca de três horas.
Enviar um comentário